Adega

 

... produzir o melhor vinho ...

Para se produzir o melhor vinho há que criar as melhores condições.

O primeiro passo passou por encontrar um local de vinificação acessivel, com um clima ameno (altitude elevada), espaçoso e bem dimensionado, que permitisse conciliar as tradicionais práticas vinícolas durienses com os contributos da enologia moderna.
O local encontrado foi a Adega da Quinta da Faísca, na freguesia de Favaios. A construção data de 1946. Na adega encontravam-se 3 lagares e 1 lagareta em pedra (no piso superior) assim como uma prensa vertical. No piso inferior repousavam 14 tonéis em madeira para estágio de Vinho do Porto e Moscatel.
Com o objectivo de criar ums adega que permitisse vinificar pequenas parcelas recorrendo a diferentes estilos de vinificação, precedeu-se a algumas alterações. Toda a recepção de uvas foi deslocada para o exterior da adega, mantendo-se os lagares e a prensa vertical. No piso inferior remodelaram-se 7 tonéis de diferentes capacidades, instalou-se 1 prensa vertical, 3 cubas de fermentação e 6 cubas de armazenamento.
No espaço ocupado pelos restantes velhos tonéis encontram-se hoje a repousar as barricas de carvalho.
Desde a triagem até à prensagem das uvas não se utiliza qualquer bomba. O elemento arquitectónico desta adega – contrução em dois pisos –, tão caracteristicos das adegas dourienses, permite deslocar o vinho com o uso da gravidade.